10 de Março de 2018

A fase da gravidez é uma das mais esperadas por muitas mulheres, e quando se trata da primeira gestação é normal que muitas dúvidas e receios se misturem a esse momento de felicidade. Por isso, é tão importante que a gestante seja acompanhada desde os primeiros estágios de vida do pequeno e procure tirar o máximo de dúvidas possíveis com um obstetra. Afinal, alguns cuidados são primordiais no primeiro trimestre para garantir uma gestação tranquila. Para ajudar as futuras mamães, a equipe de obstetras do Hapvida selecionou as 8 perguntas mais frequentes feitas por elas e esclareceu alguns mitos e verdades, veja a seguir:

>Posso usar produtos químicos no cabelo e na pele?
 Não faça uso de descolorantes, alisantes, tatuagens ou piercings.
>Sentir cólica é normal?
É relativamente comum e normal, desde que não seja muito frequente e intensa.
>Posso ter relação sexual?
Sim, você pode manter as relações sexuais, se a gravidez estiver transcorrendo normalmente.
>O que não posso comer?
Ter uma boa alimentação é fundamental. Evitar doces em geral, frituras, enlatados, embutidos, gordurosos, alimentos crus, refrigerantes, chás, álcool, cigarro e drogas. Fazera alimentação regular a cada 3 horas.
>Quando vou saber o sexo do meu bebê?
A partir de 16 semanas, por meio de ultrassom. Mas dependendo da posição do bebê, esse tempo pode variar.
>Náuseas e vômitos, o que fazer?
Evite alimentos gordurosos, pois são de difícil digestão, alimentos muito condimentados e açúcares. Evite deitar logo após comer e beba bastante água.

>Posso realizar atividade física?

Realizar atividades físicas leves após as 14 semanas, de preferência a caminhada, pilates ou hidroginástica.
>O que é Hipertensão Arterial?
A pressão alta na gravidez surge quando a pressão arterial está acima de 140/90 mmHg, especialmente em mulheres que nunca tiveram aumento da pressão arterial, podendo causar dores na nuca, dor na barriga, visão embaçada ou inchaço do corpo. A pressão alta na gravidez pode ser perigosa.

Nara@maehiperativa

por Rapha Dorvillé

LEIA TAMBÉM

  • A desafiadora fase da introdução alimentar
  • Uso excessivo de tecnologias por crianças
  • Aleitamento materno: expectativas e frustrações
  • Comente pelo facebook:
    Comente pelo Blog: